Catarina Figueiredo


Nota biográfica

Terminou em 1993 o Curso de Pintura Decorativa e Curso de Técnicos Auxiliares em Fabrico e Restauro do Azulejo na Fundação Ricardo Espírito Santo, colaborando, desde então, com a empresa Mural da História e, mais tarde, com o Museu Nacional do Azulejo (2005 a 2008), onde desempenhou funções na área de conservação e restauro.

É Mestre em Museologia pela Universidade Lusófona, onde defendeu, em 2008, a dissertação intitulada “Inovação Museológica: Adaptação ao Manual de Oslo”, sob orientação do Prof. Dr. Mário Moutinho.

Nos últimos 6 anos foi investigadora (FCT) da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e da Fundação Calouste Gulbenkian na área de estudos de azulejos, nomeadamente nos projetos de I&D Biblioteca DigiTile: Azulejaria e Cerâmica on Line (PTDC/EAT-EAT/117315/2010); e Azulejos em Lisboa antes do Terramoto de 1755 (PTDC/EAT-EAT/099180/2008).

Encontra-se a realizar Doutoramento em Museologia na ULHT.

Grupo de investigação: Grupo 3 – Cultura, Memória e Território

Projeto individual de doutoramento

Valorização e Musealização do Património no meio Urbano: Caso das Pinturas Murais públicas na Cidade de Lisboa
Título
Mário Moutinho
Orientador

Valorização e Musealização do Património no meio Urbano: Caso das Pinturas Murais públicas na Cidade de Lisboa Resumo

Esta proposta de tese – Valorização e Musealização do Património no meio Urbano: Caso das Pinturas Murais públicas na Cidade de Lisboa – consiste num projecto de exposição virtual a realizar na ULHT, tendo por base a identificação prévia dos locais de pintura mural com incidência em três décadas de muralismo na cidade de Lisboa (1930/60), e com particular relevância museológica.

O museu consistirá numa mostra de carácter virtual, visando um estudo histórico e itinerante das principais pinturas murais que decoram a via urbana.

Embora cada obra se encontre acessível ao público, fruto de uma marca autoral (e.g. escolas de origem italiana, francesa, flamengas, etc.) ou do anonimato, a criação de um museu virtual tem como principal objetivo causar um efeito de proximidade ao “visitante”, promovendo desta forma o objeto museológico e mantendo-o sempre consciente do lugar de contexto dos frescos evocados, promovendo a sua observação.

Com este projecto propõe-se a criação de uma estratégia de divulgação do património da pintura mural em Portugal em particular na cidade de Lisboa, muitas vezes esquecido ou ignorado. Pretende-se assim devolver ao público esse território, fomentando o serviço do “museu” e atuando simultaneamente de mecanismo de preservação do mesmo.

Os principais objetivos são: criar um roteiro de pintura mural e decorações incisivas executadas entre os anos 30 e 60 do século passado com enquadramento histórico e estético das obras e biografia dos artistas e seu impacto social; envolvimento das entidades detentoras das obras para criar um sistema de visitas, sendo por marcação prévia as que não têm acesso livre ao público; e publicação de brochura com conteúdos (imagens das obras e mapa com a localização dos edifícios).