• Início
  • Notícias
  • Cerimónia de atribuição do título Doutor Honoris Causa ao Professor António Nóvoa e Carlos Alberto Torres

Cerimónia de atribuição do título Doutor Honoris Causa ao Professor António Nóvoa e Carlos Alberto Torres

Doutor Honoris Causa No passado dia 25 de outubro de 2016, teve lugar na ULHT a cerimónia de atribuição do título de Doutor Honoris Causa ao Professor António da Nóvoa e ao Professor Carlos Alberto Torres, “dois dos mais ilustres professores universitários dedicados à produção de ideias” nas palavras do Doutor Manuel de Almeida Damásio, presidente do grupo COFAC.


Doutor Honoris Causa A cerimónia contou com a presença do Presidente Ramalho Eanes, acompanhado da sua esposa, do filósofo Eduardo Lourenço, do Reitor da Universidade de Lisboa, António da Cruz Serra, entre outras personalidades de distinção no nosso país.

 


Doutor Honoris Causa A cerimónia teve início com um cortejo académico. A intervenção do Professor Doutor Manuel Damásio, Presidente da COFAC, foi a primeira da cerimónia. Referindo-se aos homenageados, o Prof. Doutor Manuel Damásio afirmou “atrevo-me, por isso, a dizer que estamos perante dois grandes vultos, da mais alta dimensão científica e universitária, mas também de eficaz intervenção cívica, em prol do desenvolvimento social e comunitário” O seu discurso terminou com a leitura do poema “Antemanhã” de Fernando Pessoa para, assim, transmitir a ideia de que a academia tem a missão de contribuir para um melhor futuro.


Doutor Honoris Causa Seguiu-se a intervenção do Prof. Doutor Mário Moutinho, Reitor da ULHT, referindo-se aos homenageados como “exemplos a seguir” e cujos “caminhos de vida que a todos devem inspirar” no sentido de alcançar “uma sociedade mais justa e moderna“. Após estes discursos,  a  cerimónia foi agraciada por um momento musical do cantor Carlos Alberto Moniz que melodiou o poema “Infante” de Fernando Pessoa.


De seguida, os padrinhos académicos elogiaram os novos Doutores. A Professora Doutora Rita Hofstetter, Professora na Université de Genève e Diretora do Instituto Jean-Jacques Rosseau foi responsável pelo elogio do Prof. Doutor António Nóvoa, uma vez que o elogiado concluiu o seu doutoramento em Ciências da Educação na Universidade de origem da Professora Rita.

A abordagem do curriculum do homenageado pela madrinha académica foi muito interessante, uma vez que decidiu dividir a vida profissional do Prof. Doutor António Nóvoa em três partes, a primeira intitulada “um visionário historiador”, a segunda “um mestre do diálogo entre áreas culturais e disciplinares” e por fim “um líder criativo e unificador”.

Doutor Honoris Causa Esta abordagem permitiu à Prof. Doutora Rita Hofstetter demonstrar a evolução da vida profissional do Prof. António Nóvoa, demonstrando que tudo o que alcançou nas primeiras fases, permitiram-lhe conquistas como a fusão da Universidade clássica com a Universidade Técnica de Lisboa, criando a maior Universidade de Portugal, bem como o 2º lugar nas eleições presidenciais de 2016.


Doutor Honoris Causa Seguidamente, o Professor Doutor António Teodoro, Professor Catedrático da ULHT e diretor do Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento (CeiED) fez o elogio ao homenageado Carlos Alberto Torres, amigos de longa data e com “múltiplas cumplicidades pessoais e académicas” como afirmou o padrinho académico. Começando por descrever o seu percurso como exilado político, durante a ditadura militar argentina, o Prof. António Teodoro destacou o percurso académico de Carlos Alberto Torres começando na Argentina e terminando na Califórnia, passando pelo México e pelo Canadá.

Ao destacar o contributo do Prof. Doutor Carlos Alberto Torres para as ciências sociais e sobretudo de educação, o Prof. António Teodoro assegurou que:

“a mais importante contribuição de Carlos Alberto Torres no campo da teoria social (para utilizar um conceito que lhe é muito caro) tem sido o desenvolvimento de uma sociologia política da educação, tentando compreender como a educação – incluindo o sistema escolar, as universidades, a educação não-formal, a educação de adultos e a educação popular – contribui para a mudança social, o desenvolvimento nacional e global, a melhoria e o aperfeiçoamento das nações, das comunidades, das famílias e dos indivíduos”.

Por fim, referiu uma afirmação do homenageado “por trás de uma teoria há sempre uma biografia” para concluir dizendo que Carlos Alberto Torres é “um cidadão do mundo”.


Doutor Honoris Causa Após a atribuição solene do título de Doutor Honoris Causa pelo Reitor aos homenageados, foi o momento dos novos Doutores discursarem. O Prof. Doutor António Nóvoa foi o primeiro a responder ao elogio, começando por afirmar o quão difícil é “agradecer uma distinção” e que o que sentia naquele momento era, sobretudo, “responsabilidade”. Explicando este sentimento da seguinte forma,

“Cada distinção alarga a nossa responsabilidade, porque nos acrescenta instituições que em nós confiam, pessoas que nos escolhem como portadores de uma história e de um futuro”.

Reforçou, ainda, a necessidade de se reformular o modelo escolar que já tem 150 anos, pois “já não nos serve”. Agradeceu o elogio feito pela Professora Rita Hofstetter e relembrou, com nostalgia, a sua passagem por Genebra. E abordou vários aspetos da sua carreira profissional, focando-se no que considera uma “causa de honra”, “ter sido Reitor da Universidade de Lisboa” e com esta experiência afirmou:

“Agora, falta fazer quase tudo, mas é isso que nos anima. E falta também trabalhar no país para promover a diversidade do sistema de ensino superior.”

Por fim, concluiu com a seguinte frase:

“Para que o momento surja, cada um tem de fazer a sua parte. Com compromisso. Com conhecimento. Com responsabilidade. Continuaremos…”.


Doutor Honoris Causa Seguiu-se o discurso do Prof. Doutor Carlos Alberto Torres, que partilhou a “felicidade”, o “prazer” e a “humildade” que sentia naquele momento ao receber o título de Doutor Honoris Causa pela ULHT. Referiu-se ao estudo de Paulo Freire, que tem vindo a marcar toda a sua investigação académica, depois o momento do exílio no México e como forma de demonstrar a “vinculação histórica” a Portugal, informa que em 2005 escreveu a sua “primeira novela, ambientada em Portugal”.

Prosseguiu afirmando que:

“Ser um professor é professar os nossos convencimentos mais profundos, o que temos aprendido através da nossa pesquisa e reflexão teórica.”.

Conclui com a frase “Eu sou a página que escrevo.”, referindo-se à forma como quer profissional, quer pessoalmente tem vivido até agora. E acrescentando “eu sou o que a vida me tem permitido ser”, como forma de reflexão face ao seu percurso, nem sempre como desejou, pois a diatadura no seu país forçou-o a exilar-se.

A cerimónia terminou com o Hino da ULHT, interpretado pelo Professor Doutor Paulo Sargento.

Pode visualizar toda a cerimónia, através do seguinte vídeo:


Para aceder às restantes fotos do evento, aceda ao seguinte link