Adriana Almeida Sales de Melo


Nota Biográfica

Professora Associada da Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Departamento de Planejamento e Administração, professora-pesquisadora do PPGE/FE/UnB, mestrados em educação acadêmico (Estudos Comparados em Educação) e profissional (Gestão do Ensino Superior). Estágio-sênior no /Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona-Lisboa (2018). Coordena o Grupo Estudos sobre a Mundialização da Educação (CNPq/UnB). Diretora da ANPAE-DF. Membro do Fórum Distrital de Educação pelo CEDES. Editora da Revista Linhas Críticas FE/UnB) e Com Censo (SEEDF). Doutorado em Educação/Política Educacional (UNICAMP, 2003-PICDT/CAPES); Mestrado em Educação/Política Educacional (UFPE, 1996-Mest/CNPq); Licenciatura e Bacharelado em Filosofia (UFPE, 1989-PIBIC/CNPq). Tem publicações na área de política, gestão educacional e política de educação comparada, bem como sobre a influência dos organismos internacionais nas políticas educacionais brasileiras.

Encontra-se a realizar um estágio de pós-doutoramento sob supervisão de António Teodoro, Professor da Universidade Lusófona de Lisboa e investigador do CeiED. O estágio será realizado no período de 01 de março de 2018 a 28 de fevereiro de 2019.

Áreas de interesse académico e científico

  • Política Educacional Internacional e Comparada
  • Ensino Superior

Projeto pós-doutoramento

Trajetórias da avaliação da pós-graduação em educação no Brasil, Portugal e Espanha: autonomia e diálogo em rede para o século XXI
Título
António Teodoro
Orientador

Resumo

Com dinâmicas históricas diferentes, os países da América Latina e da Comunidade Europeia têm aprimorado seus sistemas de avaliação do ensino superior e de seus cursos e programas de pós-graduação, especificamente seus mestrados e doutorados.

A pesquisa busca apresentar um panorama de como se realiza a avaliação da pósgraduação na área da educação em três países: no Brasil, onde existe uma agência pública única que determina regras e distribuição de recursos; em Portugal e na Espanha onde o Estado assina acordos coletivos e regulamenta nacionalmente o tema, se utilizando de resultados de agências públicas e privadas para tomar suas decisões, de acordo com as regras acordadas no Espaço Europeu de Ensino Superior, seus órgãos e agências.

A indução das políticas de formação de profissionais pesquisadores pósgraduados nos países se reflete nos seus cursos e programas, exigindo práticas de internacionalização, bem como estimulando a criação de redes de pesquisa, no sentido de se criar maior diálogo na área.

A partir de metodologia de pesquisa baseada na educação internacional e comparada num enfoque crítico, a investigação se propõe a analisar a pós-graduação como elemento do projeto nacional em tais países, apontando as principais características histórico-políticas da pós-graduação em educação no Brasil, em Portugal e na Espanha a partir dos anos de globalização neoliberal, bem como os princípios da sua regulamentação e avaliação, considerando principalmente as questões de excelência social e autonomia, seus conceitos e práticas, em programas que sejam reconhecidos como de excelência e com práticas de internacionalização.