Ana Caneva Moutinho


Nota biográfica

Doutoranda em Museologia, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa (2010/-).

Mestrado em Arte e Multimédia – Ambientes Interativos, Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2008/2011).

Licenciatura em Engenharia Informática, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa (2008/2011).

Licenciatura em Arte e Multimédia, Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2004/2008).

Ana Moutinho é bolseira de doutoramento da FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia), e durante Janeiro a Junho de 2012 esteve na Bartlett School of Graduate Studies, na University College London, como Affiliate Research Student.

Grupo de investigação: Grupo 3 – Cultura, Memória e Território

Realidade Aumentada Aplicada à Museologia Resumo

A presente tese de doutoramento centra-se na relação entre o visitante/utilizador e as instalações museológicas. Partimos do princípio que o objetivo principal das instalações museológicas é o de potenciar a criação de conhecimento.

Neste sentido, exploramos uma série de recursos expositivos, em particular a Realidade Aumentada – RA, que possibilita diferentes leitura de um mesmo elemento e desta forma amplia o conjunto de interações possíveis.

Para a produção e desenvolvimento das Instalações Museológicas, tivemos em consideração o processo de design iterativo combinado com a avaliação in the wild, no sentido de desenvolver as instalações de acordo com o feedback dos utilizadores em diferentes fases do seu desenvolvimento.

No Petrie Museum of Egyptian Archaeology desenvolvemos uma instalação que tinha por base o reconhecimento gestural e centramos a investigação no processo de design iterativo, por outro lado, na Exposição Baixa em Tempo Real – BTR, apesar de executarmos também alterações com base no feedback dos visitantes, centramo-nos na avaliação in the wild, para identificar diferentes padrões comportamentais, tanto com as instalações como com a exposição num todo.

Por fim, procurámos caracterizar diferentes padrões de interação e comportamentos que foram observados durante a exibição das instalações de forma a contribuir para o conhecimento relativo ao desenvolvimento de instalações museológicas, de forma colaborativa, onde é tido em consideração os diferentes intervenientes neste processo, tal como os visitantes, os stakeholders, os técnicos ou os designers ou os museológos.