Kátia Caroline Souza Ferreira


Nota biográfica

Doutoranda pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias – PT. Possui Mestrado em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias – PT (2016). Licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Educação Montenegro (1999). Atuou como Supervisora Pedagógica, Diretora de Ensino Fundamental, Coordenadora Local do PNAIC – Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa, Conselheira Municipal de Educação, Formadora de Conselheiros Escolares, Membro da Comissão Eleitoral Central para eleições de Diretores das Escolas da Rede Municipal, Membro da Comissão de Gestão, Coordenadora dos Programas GESTAR II, Pró-Letramento e Brasil Alfabetizado, Coordenadora da Educação de Jovens e Adultos, Formadora dos PCNs em Ação na Secretaria Municipal de Educação de Porto Seguro. Atualmente é Coordenadora Pedagógica da Prefeitura Municipal de Porto Seguro – BR. Prestadora de serviço da Faculdade Montenegro. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Tópicos Específicos de Educação.

Projeto individual de doutoramento

Da formação inicial à formação continuada de professores/as: a arquitetura do desenvolvimento profissional docente
Título
Professor Doutor António Teodoro
Orientador
Resumo

Buscamos investigar como os/as professores/as dos anos iniciais do Ensino Fundamental analisam sua formação continuada e como apreendem os efeitos dessas atividades em seu desenvolvimento profissional. Elegeremos duas categorias teórico-analíticas para discussão: o desenvolvimento profissional docente, que apesar de tratar da mesma realidade, “educação permanente dos professores”, não é equivalente à formação continuada, está relacionado com a melhoria das condições de trabalho, da autonomia e da capacidade de ação dos/as professores/as, individual ou coletivamente, como um processo de desenvolvimento ao longo da vida, superando a fragmentação de momentos formais, tanto da formação inicial, quanto da continuada, de acordo com Garcia (1999; 2009) e Oliveira-Formosinho (2009); formação continuada, a qual é entendida como um prolongamento da formação inicial, visando o aperfeiçoamento profissional, bem como uma busca por incentivos pessoais e profissionais, para o exercício das funções que exerce na escola, como nos asseguram Libâneo (2013), Sacristán (2000), Formosinho e Machado (2009).