Maristela Simão


Nota biográfica

Possui graduação em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC/ BR (2006), especialização em Educação para a Diversidade com Ênfase em EJA pelo Instituto Federal de Santa Catarina-IFSC/BR (2013) e mestrado em História da África pela Universidade de Lisboa/PT (2011).

Atualmente é graduanda do Curso de Museologia da UFSC/BR, pesquisadora do Instituto de Estudos Culturais Luisa Mahin e pesquisadora associada do NEAB- UDESC/BR.

Tem experiência na área de História, Museologia e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: diversidade, patrimônio, religiosidade, cultura, identidade, educação e memória das populações de origem africana na diáspora.

Grupo de investigação: Grupo 3 – Cultura, Memória e Território

Projeto individual de doutoramento

A presença Africana e Afro Brasileira nos Museus de Santa Catarina: Memória e Representação
Título
Marcelo Nascimento Bernardo da Cunha
Orientador

A presença Africana e Afro Brasileira nos Museus de Santa Catarina: Memória e Representação Resumo

A proposta de investigação que se apresenta tem como tema central as populações de origem africana e a forma como estas são representadas nas instituições museológicas do estado de Santa Catarina, sul do Brasil.

A região é usualmente imaginada como um espaço diferenciado do conjunto da experiência brasileira, um “pedacinho da Europa no sul do Brasil”, em oposição a um povo “miscigenado” que emerge de um “cadinho cultural” pleno de diferentes influências.

Fenômenos e mecanismos culturais de origem não europeia acabam, por vezes, invisibilizados, tanto em pesquisas e estudos quanto em manifestações de divulgação e celebração de aspectos culturais.

Desta forma, surge a necessidade de se conhecer e aprofundar as discussões sobre a relação entre arte, memória, identidade, representação e os museus a partir dos processos museológicos constituintes nas instituições do Estado de Santa Catarina, nesse caso específico referentes às populações de origem africana.

Assim, tendo essas premissas como ponto de partida, através do estudo de exposições, acervos, documentos institucionais, publicações, pesquisas e outras atividades características dos museus se pretende apresentar um estudo sobre presenças e ausências das populações de origem africana nas instituições museais de Santa Catarina, com especial interesse sobre a construção de identidades e narrativas inerentes a esses processos.