NICE: A Liberdade de Luto

Observatório para a Liberdade Religiosa – Comunicado

Já não se encontram mais palavras dizíveis. É um tempo de perplexidade com dolorosos acontecimentos. Na noite de 14 de julho, o terror voltou à Europa vitimando dezenas de inocentes. O Observatório para a Liberdade Religiosa (OLR) pronunciou-se noutras ocasiões sobre atos terroristas e vê-se na contingência de voltar a fazê-lo, embora, lamentavelmente, sem ter de acrescentar muito mais. Não se conhecem ainda as motivações dos responsáveis por este horrível atentado, mas é evidente que se trata de mais um atentado contra a Liberdade e as liberdades.

No passado recente, e não será de estranhar que volte a acontecer, foram reclamadas também motivações religiosas. Como disse anteriormente o OLR, estes atentados são da responsabilidade de assassinos que, na verdade, procuram limitar as liberdades – também a religiosa -, agindo em nome de ideais que, pretendendo instaurar o medo e a instabilidade, servem apenas a barbárie, visam destruir a civilização da Liberdade e dos direitos humanos.

Perante a ameaça permanente, a imprevisibilidade do terrorismo; perante as mutações do modo de viver na Europa, hoje casa de acolhimento de gente que procura a Paz fora da sua terra natal; perante a escalada da xenofobia e da intolerância, cada vez mais respaldadas à dimensão político-partidária; perante um pensamento desintegrador e hostil, difundido também por centros imanentes de ideologias construídas para o confronto e para a violência; perante tudo isto, é necessário, é urgente, alargar o espectro de uma reflexão pragmática. É essa a razão porque o OLR continua empenhado, nos bastidores, no terreno.

Palco, ao longo da história, das maiores atrocidades, também com o combustível da religião, a Europa soube cruzar a razão com a fé naquele que será um dos seus maiores legados para a humanidade, e precisa de uma importante reflexão política e cultural, abrangente e inclusiva, sobre a sua realidade social e religiosa, sob risco de – até por força da ampliação mediática – acontecimentos violentos desencadearem intolerância e segregação, comprometendo as liberdades.

O cenário extremo do “terror” deve ter como resposta a firmeza da cultura europeia da Liberdade e da Justiça.

Em nome da liberdade religiosa, o OLR manter-se-á fiel aos seus valores: respeito pelo princípio das liberdades associativa, individual e de consciência; facilitar processos de diálogo cultural, especificamente o diálogo entre estruturas de crença, promovendo o respeito pelas diferenças e a responsabilidade social, para uma cidadania plena e ativa; sinalização e análise do Fenómeno Religioso; estímulo às práticas de cidadania a partir da observação dos direitos e deveres inerentes à Liberdade Religiosa, como a importância do estudo e produção de conhecimento isento relativo ao Fenómeno Religioso em todos os escalões de ensino reconhecidos oficialmente.

O OLR sublinha que estes atentados – recorde-se o também recente atentado no aeroporto de Istambul – têm a visibilidade mediática que outros, um pouco por todo o mundo e das mais variadas formas, não têm. E solidariza-se com todas as vítimas daqueles que procuram com a violência e o terror, o que a razão não lhes confere.

Observatório para a Liberdade Religiosa, 15 de julho de 2016

(Área de Ciência das Religiões | Un. Lusófona)