Paulo Henrique Mendonça Rodrigues


Nota biográfica

Licenciado nas áreas de Engenharia, Administração e Matemática para o ensino médio. Mestre em Administração e Desenvolvimento Empresarial, também possui os cursos de pós-graduação em Psicopedagogia e o MBA em Gestão de Processos.

Professor e Coordenador de Curso no ensino superior, há 14 anos, na Universidade da Força Aérea e na Universidade Estácio de Sá (Rio de Janeiro) nas áreas de aeronáutica, engenharias e gestão.

Conta com mais de 15 anos de experiência em projetos no segmento de aeronáutica (Operações: planejamento, logística e segurança ocupacional) e no ensino superior e técnico profissionalizante.

Interesses de investigação

  • Gestão do Conhecimento;
  • Ensino Superior e Práticas Docentes;
  • Gestão Acadêmica de IES Privadas;
  • Comportamento em Mobilidade e Transportes;
  • Segurança de Voo;
  • Transporte Aéreo.

Projeto individual de doutoramento

O Empoderamento da Formação Profissional no Ensino Superior por Alunos de Instituições Privadas, no Brasil e em Portugal: um Estudo das Práticas Docentes e da Gestão Institucional.
Título
Carla Marques Galego
Orientador

Resumo

Relatórios de investigação brasileiros e portugueses sobre o ingresso e a evasão de alunos do ensino superior revelam questões de ordem acadêmica, expectativas em relação à sua formação e a integração do estudante com a instituição como fatores que podem interferir na valorização do curso pelo aluno, afetando o seu empenho.

Nesse contexto, a presente proposta de investigação tem como interesse justamente a mobilização do aluno para empreender esforços em sua formação profissional, buscando responder como as práticas docentes e de gestão de instituições de ensino superior privadas podem contribui para mobilizar alunos em favor do seu empoderamento na formação profissional.

Parte-se de um levantamento de dados primários, de natureza descritiva, junto aos alunos das duas instituições (UNESA e ULHT), bem como documental, com a coleta de indicadores já publicados relativamente às taxas de evasão e aos modelos de ingresso no ensino superior.

Em segunda fase, serão definidas as categorias de análise das práticas docentes e de gestão, com uma abordagem fenomenológica. O marco teórico apoia-se nas representações sociais e na gestão do conhecimento.