Rita Isabel Lourenço Gil


Nota biográfica

Professora do Ensino Público Básico e Secundário em Portugal desde 2001.

2001 – Licenciada em Literatura Portuguesa e Francesa pela Universidade de Lisboa.

2007 – Licenciada em Ciências Religiosas pela Universidade Católica Lisboa

2014 – Mestre em Educação Especial pela Universidade Lusófona Lisboa

2016 – Doutoranda em Ciências da Educação na área de Inovação Pedagógica na Universidade Lusófona em Lisboa. Orientadora: Doutora Isabel Sanches

2016 – Membro do CEIED – Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da ULHT.

2017/18 – Integrou a coordenação numa escola pública do Projeto Piloto de Inovação Pedagógica e a coordenação do Departamento de Ciências Sociais e Humanas.

Projeto individual de doutoramento

Os desafios da Educação para o Séc. XXI: um contributo para a análise do Projeto Piloto de Inovação Pedagógica de uma escola pública
Título
Isabel Sanches
Orientadora

Resumo

Emergem atualmente nas escolas públicas projetos inovadores que procuram promover o sucesso dos alunos, valorizando os seus interesses, motivações e potencialidades, independentemente da sua condição física, intelectual, cultural ou outra. Estamos na presença de uma geração que além de já nascer a manusear as tecnologias, deseja ser construtor da sua aprendizagem. Acresce uma necessidade de alterar o paradigma de escola tradicional e potenciar novas metodologias em sala de aula. Estas potencialidades dos alunos podem vir a revelar-se úteis na motivação dos alunos, na efetivação das aprendizagens e na mobilização de competências essenciais para as necessidades emergentes do século XXI. Este estudo analisa a implementação do Projeto Piloto de Inovação Pedagógica (PPIP), proposto pela DGE, numa escola pública. Este projeto, além de privilegiar o trabalho de projeto e de propor uma nova forma conceber o currículo, faz uso das tecnologias com o projeto “EduLabs”, implementado em Portugal em 2014, pelo Ministério da Educação. O Projeto Piloto de Inovação Pedagógica iniciou-se com 9 medidas de intervenção no ano 2016/17 e no ano 2017/18 foram acrescentadas novas medidas, que obrigaram à alteração de metodologias em sala de aula e à gestão flexível do currículo por projeto e em grupos heterogéneos. São objetivos deste estudo verificar de que forma o PPIP, como recurso à metodologia de projeto e ao uso das tecnologias podem contribuir para uma maior qualidade do ensino e da aprendizagem. Analisámos a junção de uma turma do 6º com uma turma de 7º ano de escolaridade, cada uma delas com vinte alunos, constituindo-se num grupo de quarenta alunos, objeto deste Projeto Piloto de Inovação Pedagógica, para compreender como os alunos utilizam os sistemas tecnológicos e as metodologias de ensino e de aprendizagem, postos à sua disposição, e quais os resultados que daí advêm. A presente investigação insere-se numa abordagem metodológica de natureza qualitativa. Para a recolha de dados utilizámos a observação naturalista, a entrevista semiestruturada e as notas de campo resultantes de conversas informais realizadas no contexto do estudo, e realizaram-se igualmente questionários a 80 alunos das turmas PPIP do 2º e 3º ciclos. A análise das classificações obtidas e dos registos da evolução das competências, em cada momento de avaliação, procurou demonstrar de que forma são eficazes as abordagens metodológicas promovidas pelo Projeto Piloto. Pelos registos dos alunos e instrumentos de monitorização das aprendizagens, nomeadante pelas observações diretas do trabalho projeto, no primeiro ano piloto no ano letivo 2017/18, procurou-se verificar a existência de evidências que comprovem a melhoria do desempenho escolar de cada aluno. O projeto piloto de inovação pedagógica apresenta-se como um desafio ao aluno que pode participar ativamente na construção da sua aprendizagem com recurso a estratégias diversificadas. Esta abordagem combina o uso de tecnologia e o trabalho por projetos como recursos disponíveis, para que o aluno possa, ao seu ritmo, encontrar a melhor resposta para construir conhecimento e apropriar-se das ferramentas e competências necessárias para que possa integrar a sociedade do século XXI.

Palavras-chave: Inovação pedagógica; Diferenciação pedagógica inclusiva; Metodologia de projeto; Tecnologias; Gestão flexível do currículo.