• Início
  • Investigação
  • Projetos
  • A língua que habito, o mundo que construo: ensino de língua portuguesa e desenvolvimento de competências em países da comunidade lusófona

A língua que habito, o mundo que construo: ensino de língua portuguesa e desenvolvimento de competências em países da comunidade lusófona

Apresentação

A língua é o instrumento mais comum nas atividades diárias dos seres humanos. Usamos a língua para comunicar, obter informações, aprender novos conceitos e modos de ação, expressar os nossos pensamentos e visões de mundo. Estas «práticas linguageiras» realizam-se através de textos-discurso, compreendidos como o resultado de processos cognitivos que refletem parâmetros sociointerativos e deles dependem (Bronckart, 2006). A língua é, pois, um lugar que habitamos e um dos principais instrumentos que nos permite agir no mundo. No âmbito desta conceção teórica, este projeto pretende buscar respostas para as seguintes questões: O que se ensina ao ensinar uma língua? O que se aprende ao estudá-la?

Considerando a conceção interacionista sociodiscursiva de língua que se adotada nesta investigação, estas questões são particularmente importantes para o universo dos países de língua portuguesa, não só pela abrangência geopolítica desse universo de cerca de 250 milhões de falantes, presentes em todos os continentes, como também pelo potencial de desenvolvimento social e humano e de economia criativa para o desenvolvimento sustentável desses países (ONU, 2021; Almeida, 2021).

Ao nível curricular, o ensino de língua materna no ensino secundário de países como Alemanha, Brasil, Espanha, França, Inglaterra e Portugal está estreitamente relacionado com o desenvolvimento de um conjunto de skills (OCDE, 2018, 2019) e competências transversais (UNESCO, 2017) com destaque para as skills cognitivas e metacognitivas (OCDE, 2018) pensamento crítico, criatividade, compreensão de outras culturas, aprender a aprender e autorregulação (Dantas et al, 2022). Como é que estas orientações são traduzidas em práticas pedagógicas pelos professores em Angola, Brasil e Portugal? e como é que estas orientações são identificadas na aprendizagem dos estudantes? são o propósito do estudo ” A língua que habito”.

Nesse sentido, a presente investigação tem por objetivos:

  1. identificar as estratégias pedagógicas desenvolvidas pelos professores de língua portuguesa no último ano do ensino secundário em Angola, Brasil e Portugal em contexto de sala de aula com vista ao desenvolvimento das competências e das skillsindicadas nos currículos de língua materna;
  2. comparar as orientações curriculares e os programas de ensino de língua portuguesa do último ano do ensino secundário com as práticas pedagógicas desenvolvidas pelos professores destes três países;
  3. traçar um perfil exploratório do ensino de língua portuguesa no ensino secundário e sua relação com o desenvolvimento de competências nos três países;
  4. conhecer os níveis de desempenho em pensamento crítico de jovens do ensino secundário dos três países participantes;
  5. explorar o impacto da língua no processo cognitivo de compreensão

Financiamento

4.623,92 EUR

PE-CEIED-3/001/2022

Período

09 de maio 2022 a 09 de maio 2023

Investigadores

  • Carla Galego (coordenadora)
  • Esmeralda Santo
  • Jorge Oliveira
  • Lucimar Dantas (coordenadora)
  • Maria Teresa Costa
  • Mary Joice Rodrigues
  • Raimunda Reis
  • Rosalina Lambo