CIDATE: A Ciência Cidadã na apropriação e compreensão do Território

Apresentação

A ReLeCo A ciência cidadã na apropriação e compreensão do território – CIDATE visa o debate inclusivo através de uma abordagem ampla e a partir de diversas áreas do conhecimento (conteúdos programáticos) relacionados com o uso, apropriação, significação e gestão do território.

CIDATE virá aprofundar, produzir e disseminar conhecimento sobre as diversas estratégias incidentes no território e, em particular, sobre a construção e produção do espaço urbano na sociedade contemporânea.

CIDATE articula nos conteúdos programáticos a ciência cidadã e a capacitação territorial, numa perspetiva de cunho educacional (não formal) e de sensibilização. Esta perspetiva é direcionada para a criação de uma consciência territorial e, concomitantemente, para o reforço do papel da educação na investigação e na construção do conhecimento dedicado a um uso mais sustentável do território e dos seus componentes.

CIDATE compreende-se como um fórum para a troca de experiências e conhecimento e de conjugação dos diversos saberes dos seus membros, equipando, para tanto, o Laboratório Experimental de Educação, Espaço e Memória L3EM com uma estrutura estável para fomentar a discussão, criar sinergias e desenvolver novas experiências.

Uma melhor compreensão das estratégias de uso e gestão do território, bem como dos processos e mecanismos de construção e produção do espaço urbano, implica o estudo de várias temáticas, a adoção de diferentes abordagens e o desenvolvimento de múltiplas atividades, de que salientamos:

  • a conceitualização e noção do território e espaço;
  • o espaço geográfico, o património cultural e a memória social;
  • as políticas públicas de ordenamento e as normas de gestão do território;
  • a diversidade e especificidade dos territórios, através da promoção e aproveitamento das potencialidades locais;
  • a psicologia ambiental e antropologia do espaço;
  • a educação e capacitação territorial;
  • as questões do direito à cidade bem como a influência das questões de género, geracionais, étnicas e culturais nos processos participativos e a sua reflexão no território e no ambiente urbano;
  • as transformações operadas no território, sejam derivadas da política, sejam do funcionamento da economia, da cultura e da sociedade ou, ainda, das alterações no ambiente natural;
  • a produção e sistematização do espaço natural, construído e cultural;
  • as dinâmicas sociais, culturais e económicas na construção de valores e identidades territoriais e urbanas;
  • a sustentabilidade no uso de recursos – combate ao desperdício, promoção da racionalidade e eficiência (cumprimento de objetivos com parcimónia financeira), descarbonização e promoção da economia verde e circular;
  • os conflitos de uso dos recursos e meios do ambiente natural (espaço, relevo, vegetação, solo, água, etc.), e os seus impactes negativos (poluição, desperdício, predação, perda de biodiversidade, etc.);
  • a governança territorial, promovendo a cooperação entre diferentes níveis de governo e planos e/ou segmentos de atores e agentes;
  • a organização territorial, através de estratégias tendo por objetivo a racionalidade e a sustentabilidade de mobilização e aproveitamento de recursos;
  • a solidariedade e equidade territoriais, gerando iniciativas e políticas que ajudem nos processos de coesão territorial, a qual deve ser entendida como o apetrechamento dos territórios de capacidades equilibradas que garantam a captação de investimento em tendencial igualdade de oportunidades entre eles;
  • as metodologias de abordagem do território e de planeamento, numa perspetiva colaborativa.

Coordenação

  • Carlos Smaniotto Costa
  • Nagayamma Aragão

Investigadores

  • Diogo Mateus
  • Filipa Lourenço
  • Inês Almeida
  • Joana Solipa Batista
  • José António Oliveira
  • Tiago Duarte

Consultores externos

  • Ina Šuklje-Erjavec – Urban Planning Institute, Ljubljana/Slovenia
  • Michał Klichowski – Faculty of Educational Studies. Adam Mickiewicz University, Poznań, PL
  • Marluci Menezes – LNEC, Lisboa
  • Monica Bocci – Universitá Politécnica della Marche, Ancona, IT