Skip to main content

Miguel Feio

Miguel Feio atua nas áreas de Ciências Sociais com ênfase em Ciências da Educação, ensino da História, Museologia, e Gestão de Projetos Culturais e é atualmente doutorando em Sociomuseologia com o projeto: “COSMUS – Museu Comunitário de Escola”. 

Orientador: Mário Antas

Áreas de interesse académico e científico Areas of academic and scientific interest

  • História e Geografia
  • Museologia, Museus e Museus Comunitários
  • Educação, Didática e Pedagogia
  • Património
  • Inovação
  • Inclusão
  • UNESCO
  • Cidadania
  • Diversidade cultural

Resumo

Numa Europa cada vez mais multicultural, o diálogo intercultural é a chave descodificadora deste pluralismo que permite conciliar a liberdade de cada cidadão na sua articulação com a tolerância perante os demais.

Os museus comunitários de escola são espaços interculturais que contribuem para a mitigação dos conflitos e das desigualdades culturais, económicas e sociais, tão manifestas neste continente e em todo o mundo.

Identificado o problema, coloca-se a questão:

Será que os museus comunitários escolares são meios eficazes de para promover o diálogo intercultural e o respeito pela diferença?

Os museus comunitários escolares podem constituir/se como instrumentos de combate a diferentes formas de discriminação?

O projeto europeu COSMUS: Museu Comunitário de Escola, propõe a abordagem de estratégias que promovam a integração social, aprimorando a compreensão intercultural e o sentimento de pertença a uma comunidade, focando os contextos da escola e museu inserido num espaço territorial. Pretende-se, igualmente, valorizar o património cultural europeu e o seu território como ponto focal da diversidade e do diálogo intercultural, através de seis museus comunitários de escola na Europa, despertando a consciência da comunidade, dos professores e dos alunos entre os 3 e os 18 anos de idade, para a necessidade e importância de conhecerem o património local e regional estabelecendo interações valiosas na promoção de um diálogo de paz.

Os processos a utilizar passarão por promover a pesquisa-ação, abordagem metodológica em que a comunidade escolar e os parceiros recolham evidências, no processo pedagógico diário, analisando-as sistematicamente, a fim de identificar elementos para o conhecimento e aprimoramento de um Museu Comunitário da Escola e da comunidade.

A presente proposta de tese procura, ainda, analisar as dinâmicas de funcionamento inspiradas nos museus de carácter sociomuseológico, adequadas à realidade escolar, desenvolvendo nos alunos uma cidadania participativa e uma atitude criativa transformadora da realidade, bem como aprofundar um senso crítico e construtivo em torno das questões do património tangível e intangível. Por tal, pretende-se, ainda, desenvolver as habilidades sociais e artísticas dos alunos, alfabetização tecnológica, plurilíngue e intercultural, comunicação, num contexto socio museológico, educacional e comunitário.

O projeto EU-LAC – Museus Comunitários, a decorrer desde 2016, constituiu-se como referência despertando uma sensibilidade extraordinária para realidade museológica, em especial a sociomuseologia e a sua relação com a educação. Conhecendo o conceito de museologia e de museologia comunitária, o museu comunitário de escola carece de uma definição. A realidade de um museu ou ecomuseu, os seus recursos físicos e humanos são substancialmente diferentes de um espaço escolar. Este convive com uma organização institucional formal, um currículo nacional a ser implementado e recursos humanos qualificados e heterogénios, com níveis e expectativas de carreira destintos. Estamos em querer que estes pressupostos levarão a uma dimensão conceptual nova e inovadora.

A escola e o museu são espaços tradicionalmente distintos que se complementam. Neste projeto, pretende-se, por um lado, implementar museus comunitários escolares, através de uma fusão de espaços escola/museu. Por outro, um meio de estabelecer uma plataforma cultural de aprendizagem que deverá resultar numa rede de museus comunitários escolares ligados entre si, promovendo parcerias estratégicas com museus, monumentos, sítios, associações, entre outros espaços culturais, que permitam aos alunos e comunidade em geral novas aprendizagens, estimulando o conhecimento, a defesa, a preservação e a valorização do património de todos nós. O resultado desta investigação deverá permitir a definição do conceito museu comunitário escolar.

A metodologia de trabalho estrutura-se a partir de um conjunto de objetivos de investigação. Têm por objetivo real o Museu Comunitário de Escola, Património e Desenvolvimento Social. O objeto de Estudo será centrado na Escola e Interculturalidade, que articulará com o objetivo científico a Sociomuseologia. As parcerias estratégicas constituem-se como objetivo empírico.

A construção de um museu escolar comunitário, incluindo as produções intelectuais que o suportam, constituem uma inovação educacional, social e cultural baseada na sociomuseologia, inspirando a comunidade educativa a respeitar a diversidade, as memórias e identidades que pulsam no coração do COSMUS.