Skip to main content

Projetos

As mudanças nas políticas de acesso ao ensino superior durante a COVID-19: impacto na equidade

Apresentação

Tendo em conta a situação sanitária que afetou o mundo, criada pela pandemia do COVID 19, foram tomadas, em Portugal, medidas educativas excecionais e temporárias de resposta à pandemia no sentido de limitar as atividades letivas e não letivas presenciais. Ao nível do ensino secundário, o Decreto-Lei n.º 14-G/2020 de 13 de abril, Artigo 8.º altera o regime de avaliação, aprovação de disciplinas e conclusão do ensino secundário. A par disto, a pandemia obrigou ao encerramento das escolas e à passagem para o ensino à distância, num período de confinamento sem precedentes. Neste contexto, o IAVE (Instituto de Avaliação Educativa), para minimizar os potenciais efeitos do confinamento nas aprendizagens, alterou a estrutura dos exames nacionais. Todas estas alterações tiveram impacto, por um lado, na subida das médias de acesso ao ensino superior, e, por outro, no número de inscrições no primeiro ano, pela primeira vez. De acordo com a DGES (Direção Geral do Ensino Superior), o número de candidatos ao ensino superior, em 2020, foi o mais elevado desde 1996 (62.675 estudantes) e em 2021 continuou a crescer (63.878 estudantes). Este aumento, que se traduziu também numa maior participação de estudantes no ensino superior, poderá representar mais e melhores oportunidades para estudantes que não ingressariam no ensino superior em circunstâncias não excecionais.

A passagem ao ensino à distância, com os seus custos e benefícios, estendeu-se ao ensino superior. Para muitos estudantes, este modo de ensino prejudicou o processo ensino-aprendizagem e o desenvolvimento de competências essenciais ao seu futuro ingresso no mercado de trabalho. Este pode ter sido um motivo adicional a acrescentar a outros que conduzem, anualmente, os estudantes ao abandono do ensino superior. Para outros estudantes, foi uma forma de redução dos custos associados ao alojamento ou às viagens diárias, tornando até mais fácil a frequência das aulas por parte de alguns grupos de estudantes, sobretudo dos que dividiam o seu tempo entre o ensino superior e uma atividade profissional. Nestes casos, a permanência no ensino superior pode ter sido favorecida.

O objetivo central deste estudo é o de avaliar o impacto desta alteração (temporária) das regras de acesso na transição do ensino secundário para o ensino superior. A avaliação da política será orientada pela seguinte questão de investigação: as mudanças introduzidas nas regras de acesso traduziram-se em mais equidade na transição do ensino secundário para o ensino superior?

18 meses

Investigadores

  • Orlanda Tavares (Investigadora Principal)
  • Cristina Sin
  • Sónia Cardoso

Parceiros

Carla Sá, NIPE, Universidade do Minho

  • Referência do Projeto Project Reference
    EDULOG/PA/2022
  • Período Date
    01/11/2022 a 31/05/2024
  • Financiamento Funding
    Edulog – Fundação Belmiro de Azevedo